Todo Dia Um Rock

O Maior Portal de Rock do País!

Lars Ulrich do METALLICA Não se Incomoda Mais Com as Críticas: “Não preciso provar mais nada”.

Lars Ulrich do METALLICA diz que não se incomoda mais com as críticas das pessoas sobre suas habilidades na bateria. Falando ao So What! do METALLICA, revista do fã-clube, o músico nascido na Dinamarca disse: “Ao contrário de anos atrás, eu basicamente não leio nenhuma das entrevistas que os outros caras [do METALLICA] fazem. 20 ou 30 anos atrás, todos nós sentaríamos e leríamos cada página da Kerrang! e cada página da revista Circus, veja o que fulano está dizendo e o que os outros membros da banda diziam, o que James [Hetfield, guitarrista/vocalista do METALLICA] estava dizendo sobre isso e aquilo. Eu também não leio o que as pessoas dizem sobre o METALLICA.

“Eu direi que ocasionalmente, uma vez a cada seis meses ou algo assim, é divertido passar pela seção de trollagem apenas por causa do ridículo de tudo isso, mas não é algo que eu faço mais regularmente”, revelou ele . “20 anos atrás, teria sido, ‘Oh, meu Deus, alguém disse algo ruim,’ ou, ‘Essa pessoa disse um comentário desagradável na seção de comentários’ ou o que quer que seja. Agora, nada disso realmente significa nada para mim.”

Quando o entrevistador Steffan Chirazi interrompeu que acha “realmente patético” quando vê alguém tagarelando sobre o Napster pela centésima vez – e errando muito “, disse Ulrich: “Mas estou tão cansado – estou literalmente imune a isto. Acabamos de dar um monte de entrevistas e, às vezes, se estou sendo entrevistado por um jornalista que também é fã, eles dizem: ‘Quando as pessoas dizem que Lars Ulrich é um baterista de merda, eu defendo você. ‘O que é legal, mas tenho que te dizer, 20 anos depois, 30 anos depois, simplesmente não interessa mais. Eu estou tão confortável com quem eu sou, estou tão confortável com quem é o METALLICA, estou tão confortável com nosso lugar em tudo isso. Tenho uma esposa incrível, três filhos ótimos, meu pai e [sua parceira] Molly, amigos incríveis e muitos conhecidos legais. É tudo de bom. Não tenho mais nada a provar, então simplesmente não registro mais. “

Em 2016, Ulrich, que recebeu muitas críticas ao longo dos anos de pessoas que o acusavam de ser um péssimo baterista, disse ao podcast “Talk Is Jericho” que passou por um período em meados da década de 1980 “que provavelmente culminou no álbum ‘Justice‘, onde me senti meio que compelido a tentar mostrar habilidade. “

De acordo com Lars, parte do motivo de ele se sentir inseguro sobre suas habilidades era o aumento da competição de alguns de seus colegas.

“Ouça, quando você tem Dave Lombardo e Charlie Benante respirando nas suas costas, era tipo, ‘Ok, eu tenho que …’ Eu tentei aumentar um pouco e tentei fazer minhas próprias coisas e fazer toda essa merda maluca”, disse ele. “Eu estava tentando muito empurrar a bateria para o primeiro plano. E então, depois de um ou dois anos disso, eu estava tipo, ‘Ok. Sério? Apenas faça o que você quer. Relaxe. Apoie os riffs. Faça o que for melhor para a música. ‘Então, desde o final dos anos 80, acho que já se passaram, tipo, 25 anos agora – a única coisa que realmente me interessa é fazer o melhor para a música.”

Questionado em uma entrevista de 2008 para a revista Rhythm, do Reino Unido, se ele estava preocupado com o fato de ter sido criticado ao longo dos anos por pessoas que o acusavam de ser um péssimo baterista, Lars disse: “Costumava, lá no dia – e eu gastei muito tempo compensando isso nas primeiras vezes. Mas então você acorda um dia e fica tipo, tanto faz. Isso não me incomoda há [muitos] anos. Não sou nenhum Joey Jordison (ex-SLIPKNOT), não sou nenhum Mike Portnoy (ex-DREAM THEATER) e não tenho nada além de amor, respeito e admiração por todos esses caras. Quando ouço alguns dos jovens, eles me surpreendem com o que podem fazer com os pés e outras coisas – mas não é algo que me faz pensar: ‘Preciso me sentir melhor comigo mesmo, então vou aprender como fazer o que eles fazem com meus pés’. Não sou um baterista particularmente talentoso, mas sou muito, muito bom em entender o papel da bateria ao lado da guitarra base de James Hetfield. Garanto que sou o melhor cara do mundo para isso, e isso é o suficiente para mim!”

Ulrich afirmou sobre sua habilidade de tocar em uma entrevista de 2012 para a revista DRUM!: “Eu geralmente sinto que regredi. [Risos] Eu fico tipo, ‘Por que não posso mais fazer isso?'” Ele continuou: “Não posso dizer que necessariamente me sento para praticar, como, ‘Vou tocar e praticar para ficar melhor.’ O que acontece é que eu apenas sento e toco para ficar mais em forma. “

Ulrich acrescentou: “Sabe, o METALLICA estava com dois ou três meses de folga [em 2011], e eu me sentava, tenho um iPod ao lado da bateria para que eu pudesse tocar junto com todo tipo de coisa maluca e tentar ver se consigo chegar ao mesmo local de algumas dessas coisas ocasionalmente. Mas não posso dizer que me sento para praticar necessariamente para melhorar. Para a maioria das minhas coisas, é sobre ouvir e interpretar coisas que Estou ouvindo. Então, todo o tipo de sentar e, você sabe, ‘Agora vou fazer paradiddles (principio básico da bateria) de trinta segundos em pé sobre minha cabeça – você sabe o que quero dizer. Eu não faço muito esse tipo de coisa. Para mim, é mais sobre o regime de ficar em forma, correr todos os dias, comer de forma saudável, sabe, estar por cima nesse quesito. “

Compartilhe Com Seus Amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Todos os Direitos Reservados |