Todo Dia Um Rock

O Maior Portal de Rock do País!

ANGUS YOUNG Nomeia a “Música Mais Lamentável” do AC/DC

Recentemente em nova entrevista com o Vulture, Angus Young foi convidado a nomear a “música mais lamentável do AC/DC” de todos os tempos.

Ele respondeu definitivamente: “Em nosso primeiro álbum, ‘High Voltage‘, fizemos uma canção de amor chamada ‘Love Song‘. Isso foi muito diferente para nós. Eu não sabia se estávamos tentando parodiar canções de amor da época, porque Bon [Scott, o então vocalista da banda] escreveu a letra. Eu nem lembro quais são as palavras”.

E continuou “Lembro-me dessa música porque o cara que trabalhava para nós na nossa gravadora nos disse que era o que estava na rádio local – música muito suave. Ele pensou que deveríamos lançar aquela música, porque provavelmente vai ser tocada. Lembro-me de ter pensado: ‘Quem em sã consciência iria querer que isso fosse lançado?'”.

“Tivemos muita sorte, porque todas as estações de rádio que nos viram ao vivo sabiam que não éramos quem éramos”, continuou ele. “Então, essas estações começaram a virar o disco e tocar a outra música, que era um cover de um padrão de blues chamado ‘Baby, Please Don’t Go‘. Na verdade, conseguimos um hit do lado B. Essa foi aquela graça salvadora da música”.

Histórico do AC/DC

Scott foi originalmente convidado a ingressar no AC/DC pelos irmãos nascidos em Glasgow e membros fundadores Angus e Malcolm Young em 1974, e alcançou o estrelato internacional antes de sua morte, por fim, aos 33 anos em 1980 por envenenamento por álcool.

Ele cantou nos primeiros seis álbuns de estúdio do AC/DC, incluindo “High Voltage“, “Dirty Deeds Done Dirt Cheap“, “Let There Be Rock“, bem como “Highway To Hell“.

Angus disse ao The Pulse Of Radio anteriormente que a banda quase não conseguiu superar a morte de Scott. “Bon era o grande … Ele era um vocalista completo, além de ter um ótimo personagem, você sabe. Quero dizer, ele apenas viveu uma vida de rock ‘n’ roll. Com Bon, o que você viu foi o que você conseguiu, e , sim, foi muito, muito difícil”.

AC/DC é, dessa forma, o único grupo australiano na história a ter um álbum nº 1 em seu país natal em cinco décadas: “Back In Black” (1980), “Ballbreaker Live” (1990), “Black Ice” (2000) , “Rock Or Bust” (2010) e “Power Up” (2020).

“Power Up”

O álbum mais recente do AC/DC, “Power Up“, alcançou recentemente o primeiro lugar em 18 países, incluindo os EUA, onde vendeu mais de 117.000 cópias na primeira semana.

Power Up” detém atualmente a maior primeira semana da Alemanha em 2020. E a maior primeira semana para um ato internacional em quatro anos. Além disso, é o álbum mais vendido do Reino Unido em 2020 e a maior primeira semana do ano. No Reino Unido, estreou com vendas na primeira semana de 62.000. Destes, 52.955 unidades estavam em formato físico (CD, vinil, cassete).

Power Up” foi anteriormente gravada ao longo de um período de seis semanas em agosto e setembro de 2018 no Warehouse Studios em Vancouver. Com o produtor Brendan O’Brien, que também trabalhou em “Black Ice” de 2008 e “Rock Or Bust” de 2014.

Power Up” é uma homenagem, acima de tudo, a Malcolm, que morreu em 2017 de efeitos de demência aos 64 anos. Malcolm é creditado como escritor em todas as 12 faixas de “Power Up“, junto com Angus.

Compartilhe Com Seus Amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Todos os Direitos Reservados |